Alecrim

CHÁ PRA QUÊ?


Conheça os benefícios e as contraindicações do Alecrim (Rosmarinus officialis L.), planta aromática com inúmeras propriedades medicinais consumida em todo o mundo.

Alecrim (Rosmarinus officialis L.).

Inspirada por um anjo, a Rainha Isabel da Hungria no século XIII preparava um destilado a partir de folhas de alecrim maceradas em álcool. Este tônico restabeleceu sua saúde e se popularizou em toda Europa como elixir milagroso. E hoje o alecrim, muito além da culinária, é utilizado pela medicina natural em todo o mundo.

Com seu aspecto frágil e delicado o alecrim possui uma série de substâncias medicinais, estimula o apetite, a circulação sanguínea e as funções do pâncreas, por isso é indicado para diabéticos do tipo II. Também é recomendado para casos de dor de estômago, dor de cabeça de origem nervosa, vertigem e perda de memória. Muito eficaz contra a queda de cabelo. Útil nos estados de depressão, pois o alecrim é tonificante, dando força e vigor aqueles que sentem fraqueza e cansaço, devido a uma intensa vida física ou intelectual. Devolve a vitalidade dos idosos. É usado para tratar distúrbios gastrointestinais causados por secreção irregular da bile. Estimulante cardíaco, antirreumático, cicatriza feridas entre muitas outras propriedades curativas.

O alecrim também é utilizado como expectorante, antioxidante e combate cólicas menstruais, ajuda na digestão, protege o fígado e diminui os gases.

Porém, o consumo do alecrim não deve ser exagerado, já que o excesso pode causar enfermidades como nefrite ou gastroenterite. Além disso, não é recomendado para gestantes ou pessoas que apresentem um quadro clínico de epilepsia, não deve ser utilizado por hipertensos, pessoas com doenças inflamatórias da pele ou com hipertrofia de próstata.

Uso Externo:

Para dores reumáticas:

– Misturar uma colher (café) de óleo de alecrim em uma xícara (chá) com azeite de oliva.
– Massagear a região dolorida várias vezes ao dia.

Uso Interno:

Em infusão:

– 15g de alecrim para um litro de água fervente.
– Depois de fria, coar e tomar uma xícara média 3 vezes ao dia.

Fonte: Lelington Lobo Franco – As Sensacionais 50 Plantas Medicinais e Marisa Sei – Guia de Saúde/Remédios Naturais.