Arte Indígena

ARTE & CULTURA


Em todos as edições escolhemos um grande artista, nesta faremos homenagem a cultura milenar dos índios, que são surpreendentes artistas, além de notáveis artesãos.

Arte indígena

Os povos indígenas são artistas natos, primorosos artesãos. No passado cada peça confeccionada era usada como material de troca, entre os indígenas ou com os “juruá” (que significa homem branco na língua guarani).

Os índios produziam e ainda produzem diversos tipos de artefatos para atender suas necessidades cotidianas e rituais. São cestos, bolsas, esteiras, panelas, esculturas, instrumentos musicais, máscaras, além das plumárias e enfeites de materiais diversos.

Todos os materiais necessários para confecção do artesanato eram encontrados na natureza, as sementes, as pedras, as peles, as plumas, as madeiras, os pigmentos, entre outros. Hoje, com a escassez de recursos naturais, bem como restrições impostas pela nossa legislação ambiental, os indígenas enfrentam sérias limitações para confecção de peças, incluindo os artefatos sagrados.

Neste contexto os indígenas precisaram encontrar alternativas para desenvolver seus utensílios e sua arte, e passaram a utilizar nas confecções miçangas, pedrarias e sementes compradas, portanto muitas peças tiveram alterações para a comercialização. Apesar de alguns artefatos passarem por mudanças, como a substituição de sementes por miçangas, carregam em sua configuração o grafismo de suas etnias.

Há peças que não são vendáveis, por suma importância cultural e espiritual. O Popyguá, por exemplo, um objeto dos Guarani Mbyá, é constituído por duas hastes feitas de madeira e usado apenas por homens durante a reza. Existem também peças que não são mais utilizadas no cotidiano de algumas aldeias, mas que de alguma forma representam as culturas indígenas no imaginário juruá, como a zarabatana e o machado de pedra.

O artesanato é a principal fonte de renda dos indígenas no Brasil. Em Curitiba, a loja Xondaro, em trabalho voluntário com as aldeias, comercializa diversos artefatos e atua como centro de divulgação das culturas indígenas.

Em outras localidades do Brasil, a arte indígena pode ser adquirida em lojas cadastradas pelo programa Artíndia da Funai, presentes nas cidades de Belém, Cuiabá, Goiânia, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. As peças são compradas diretamente das comunidades indígenas, incentivando-as à manutenção de padrões de sua cultura material e garantindo ainda, uma fonte de recursos as tribos.

Fonte: Xondaro arte indígena.