Como fazer mudas

MINHA HORTA


No processo vegetativo, conseguimos obter novos exemplares a partir de uma parte específica da planta, pode ser realizado por vários métodos: estaquia, divisão de touceira, mergulhia ou alporquia.

Estaquia – Retirada de estacas ou galhos: obtemos novos exemplares a partir de uma parte específica da planta, estacas de galho, rebentos, são retirados com ou sem raiz e introduzidos na terra. É um método simples e muito usado principalmente na reprodução de plantas que apresentam caule macio e não fibroso. Escolha uma planta sadia para ser a matriz. Duas ou três horas antes de retirar a estaca, faça a rega da planta para garantir reserva de umidade. Utilize uma faca ou canivete afiado e faça o corte logo acima do nó do caule, para permitir que a planta matriz possa brotar novamente. O enraizamento pode ser feito na água ou direto no solo. Caso as estacas sejam colocadas na água, lembre-se de retirar as folhas inferiores. Em média levara um período de três a quatro semanas para surgirem as primeiras raízes. Se for colocá-las diretamente no solo, apare à estaca abaixo do nó, prepare o local do plantio, potes plásticos furados em baixo servirão, encha-o com terra adubada e umedecida, introduza à estaca até o nível das folhas, pressione um pouco a terra para dar firmeza, depois afofe um pouco na superfície e regue moderadamente.

Estaquia – Retirada de folhas ou estacas de folhas: este processo é muito utilizado na reprodução de violetas, begônias e etc. Escolha folhas que não sejam muito novas, mas que ainda não estejam muito velhas. Remova-a com o pecíolo. No enraizamento na água, encha um recipiente, não muito grande, até a borda. Cubra-o com um plástico, prenda bem e faça furos na parte superior para encaixar as folhas, de modo que as pontas possam ficar submersas até enraizarem. Para o enraizamento no solo, prepare o local (potes como foi sugerido anteriormente), plante um número de folhas compatível com o tamanho do recipiente.

Divisão de touceiras: ideal para a multiplicação de alguns tipos de samambaias e cactos. Comece selecionando as partes que se apresentem bem separadas e com raízes fortes e saudáveis. Com o torrão na mão, separe delicadamente a touceira, tomando cuidado para não danificar o sistema radicular. Coloque as plantas divididas em um recipiente preenchido com a mistura de solo. Regue levemente.

Mergulhia: consiste em dobrar um ramo da planta mãe até o enterrar no solo. A parte enterrada ganha raízes e, quando está enraizada, pode separar-se da planta-mãe, obtendo-se assim uma planta independente. Faça um corte parcial em um ramo, dobre-o e prenda-o ao solo com um grampo e cubra-o de terra. O contato da região do corte com o solo estimulará o enraizamento. Quando este já é suficiente para manter a nova planta, o ramo é cortado da planta mãe e poderá ser replantado.

Alporquia: geralmente utilizado para fazer mudas de árvores, pois acelera o período de obtenção de frutos. Seleciona-se um galho com pelo menos dois centímetros de diâmetro, faz-se um corte em forma de anel em volta do mesmo, retirando a casca, coloca-se neste local musgos ou terra úmida, amarra-se um tecido ou plástico sob o local para que não perca umidade. O corte e o contato com a terra úmida induzem o enraizamento, enquanto o ramo continua a receber nutrientes minerais da planta mãe através da parte intacta do caule. Assim que formarem raízes visíveis, o galho poderá ser retirado para replantio.

Fonte: Ademar brasileiro, o Mago Jardineiro.