Hidropônicos não são orgânicos.

MUNDO ORGÂNICO


    Muitas pessoas consomem alimentos hidropônicos por pensarem que são mais saudáveis ou similares aos alimentos orgânicos. O que está longe de ser verdade.

Hidropônicos não são orgânicos 1
Foto: Estufa de cultivo hidropônico.

        Ambos os cultivos são bem diferentes: não há como comparar os alimentos hidropônicos com os orgânicos em questão de sustentabilidade e saúde.

    As verduras hidropônicas, por serem cultivadas fora do solo, são mais suscetíveis ao ataque de doenças, principalmente fungos. Essas doenças surgem, muitas vezes, de maneira não controlável o que obriga o produtor a usar agrotóxico na tentativa de salvar a sua produção. Algumas pessoas preferem os alimentos hidropônicos por deduzirem que são mais “limpos” ou seja, cultivados fora da terra. Porém  os produtos hidropônicos podem receber tanto, ou mais, agrotóxicos quanto os produtos da agricultura convencional.

    Na hidroponia, por estarem longe do solo e em estufas há um aumento da produtividade, pois ficam isentos das chuvas, granizo e etc… E os alimentos aparentam ser de maior qualidade, fatores que contribuem para o fornecimento constante aos pontos de venda. Contudo, é necessário acompanhamento técnico especializado, para que se tenha uma solução nutritiva balanceada que forneça nutrimento adequado e evite, dentre outros problemas, o acúmulo excessivo de nitrato nas plantas.

    Os agricultores orgânicos procuram produzir em harmonia com a natureza. Os hidropônicos optam por um afastamento radical, com métodos antinaturais como a supressão do solo e a nutrição das plantas através da adição de nutrientes químicos solúveis em água.

    Na agricultura orgânica o solo é utilizado de forma equilibrada (o solo é tratado como um organismo vivo). Com boas condições para que as plantas se desenvolvam, sem a necessidade de fertilizantes, agrotóxicos ou qualquer resíduo tóxico. Pode se notar nos alimentos orgânicos tendências como teor superior de matéria seca (fração do alimento excluída a sua umidade natural e onde estão contidos os nutrientes), menor teor de nitratos e maior teor de vitamina C. Plantas cultivadas organicamente possuem mais fitoquímicos, vários compostos secundários (incluindo flavonóides, carotenóides e polifenóis), que os vegetais produzem para se defender de pragas e doenças, muitos dos quais têm importantes efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios  benéficos para os seres humanos. Por não serem pulverizados com agrotóxico, as plantas orgânicas tendem a produzir de 10 a 50% mais desses compostos comparadas ao modo convencional.